Vila Pavão é uma das cidades com maior incidência de dengue no ES

Nas últimas 4 semanas, a cidade, que também enfrenta um surto de malária, ficou entre os quatro locais onde mais houve casos de dengue no Estado.

Nas últimas semanas, um surto de malária atingiu algumas localidades do Noroeste do Espírito Santo. As últimas informações da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), afirmam que 117 casos já foram confirmados, incluindo uma morte. Deste número, a maior incidência foi registrada no município de Vila Pavão.

Nos boletins da dengue e da chikungunya, também divulgados pela Sesa, a cidade de Vila Pavão também é citada. No primeiro caso, está entre os locais com maior incidência de registros no Estado.

Nas últimas quatro semanas, o município registrou uma média de 126,9 casos para cada 100 mil habitantes (entenda o cálculo abaixo). O resultado colocou a cidade no quarto lugar do ranking, ficando atrás de Laranja da Terra, Aracruz e Linhares, que lidera a lista.

O número dos casos de chikungunya registrados no município não foram divulgados, mas Vila Pavão é citado em uma lista de 25 cidades onde houve registros da doença em 2018. Em todo o Estado, segundo a Sesa, 856 ocorrências foram registradas até o 04 de agosto.

Segundo a Sesa, as ações que estão sendo realizadas no município de Vila Pavão são específicas para o controle da malária. No entanto, se algum outro tipo de mosquito entrar em contato com o inseticida, este também será atingido.

A Sesa informou ainda que as ações de combate ao Aedes aegypti são realizadas rotineiramente em todos os municípios e ressalta que a incidência do Aedes é predominantemente em área urbana enquanto o mosquito que transmite a malária vive e se alimenta em área rural.

Cálculo de incidência

Para calcular a incidência, divide-se o número de notificações (ou seja, o número de novos casos da doença) pela população do município e multiplica-se este valor por 100 mil. O Ministério da Saúde considera três níveis de incidência de dengue: baixa (menos de 100 casos/100 mil habitantes), média (de 100 a 300 casos/100 mil habitantes) e alta (mais de 300 casos/100 mil habitantes). A taxa de incidência é, portanto, um importante indicador de alerta e ajuda a orientar as ações de combate à dengue.

Fonte: Folhavitoria.