Serra: motociclista é atingida por linha de pipa com cerol e leva 17 pontos

Uma atendente de farmácia ficou ferida após ser atingida por uma linha de pipa com cerol, enquanto andava de moto na BR-101, na Serra, no Espírito Santo. Ela precisou levar 17 pontos no pescoço.

O acidente aconteceu nesta sexta-feira (20). Camila mostra o tamanho do curativo que os médicos do Hospital Jayme Santos Neves tiveram que fazer.

(Foto: Roberto Pratti/ TV Gazeta)

“Só senti a hora que uma coisa quente chegou no meu pescoço e eu fui com a minha mão tirar. Na hora que eu tirei já estava a linha com cerol, com cordão e sangue jorrando, sangue descendo. Foi quando eu joguei a moto pro acostamento para poder parar e ver o que aconteceu”, disse Camila Toledo.

A calça e a camisa que ela vestia ficaram cheias de sangue. A moto também ficou suja. Ela pensou que fosse morrer.

“Eu pedi a Deus para eu não morrer, porque eu tenho um filho e só pensava nele. Na hora, eu só pensava que ia morrer, porque o sangue não parava de jorrar”, completou Camila.

A linha com cerol cortou o fio de prata, que é mais fino, mas não conseguiu atravessar o pingente do cordão, que leva o nome dela. Para Camila, um milagre.

“Estava fazendo a sutura, o médico disse: ‘é mocinha, não era pra você estar aqui agora não’. Eu acho que se eu estou viva hoje, pelo corte, é porque Deus tem um propósito na minha vida”.

Próximo ao local onde a linha de cerol quase tirou a vida de Camila, a reportagem encontrou vários adolescentes soltando pipa. Um deles, de 16 anos, disse que o cerol é usado por muitos jovens. “Para continuar com a pipa, porque o povo gosta de ficar cortando a pipa ”, disse.

A moto da Camila não tem a antena que corta a linha da pipa, usada para proteger o motociclista. Agora ela disse que vai instalar o equipamento.

Fonte: G1 ES