Corpos de vítimas de acidente em navio em Aracruz chegam ao DML de Vitória

De acordo com o Sindicato dos Estivadores, Trabalhadores Avulsos e Com Vínculo Empregatício em Estiva nos Portos do Estado do Espírito Santo, o acidente teve início quando um dos trabalhadores desceu ao porão do navio

Os corpos dos três trabalhadores portuários que morreram em um navio atracado no Portocel, em Aracruz, norte do Estado, chegaram no Departamento Médico Legal (DML) de Vitória na noite da última terça-feira (24). Familiares estiveram no local na manhã desta quarta-feira (25).

Uma das vítimas identificadas como Clóvis Lira da Silva, de 52 anos, desceu ao porão do navio para realizar as atividades do dia a dia e teria inalado o gás tóxico e acabou desmaiando. Adenilson Carvalho, de 47 anos, e Luiz Carlos Milagres, de 64 anos, que estavam próximo ouviram um barulho e foram verificar o que havia acontecido, e também teriam inalado gás tóxico.

As três vítimas foram levadas para o Hospital São Camilo, mas não resistiram. Já o estivador Vitor Souza Olmo também precisou ser hospitalizado, mas o quadro era estável. Ele postou uma mensagem no Instagram, dizendo que passa bem. Vitor teve alta neste quarta-feira (25).

De acordo com informações da assessoria de comunicação do Portocel, as vítimas atuavam como Trabalhadores Portuários Avulsos (TPAs) e executavam atividades no navio Sepetiba Bay, fretado pela Companhia de Navegação Norsul. A embarcação estava atracada no porto para descarregar madeira. Os quatro portuários foram encontrados desacordados no porão desse navio.

Ainda de acordo com o Portocel, as circunstâncias da ocorrência estão sendo investigadas e as autoridades competentes foram envolvidas. Por causa do acidente, a direção do porto decidiu paralisar temporariamente suas operações. O Portocel disse ainda que lamenta profundamente o acontecimento, que se solidariza com as famílias dos três trabalhadores e que está colaborando com as autoridades nas investigações.

Acidente

De acordo com o Sindicato dos Estivadores, Trabalhadores Avulsos e Com Vínculo Empregatício em Estiva nos Portos do Estado do Espírito Santo (SETEMEES), o acidente teve início quando um dos trabalhadores desceu ao porão do navio para pegar equipamentos e desmaiou. Em seguida, outros três trabalhadores portuários foram ajudar, mas também desmaiaram.

De acordo com o chefe do setor de segurança e saúde do trabalhador da Superintendência Regional do Trabalho no Espírito Santo, José Eduardo Freire de Menezes, a suspeita é de que as vítimas tenham entrado no porão sem a devida proteção.

“Um deles estava mais acima e conseguiu subir as escadas à tempo. Mesmo assim inalou uma quantidade do gás, que é muito tóxico. Os outros três, infelizmente não conseguiram sair”, contou.

O chefe de segurança do Ministério do Trabalho explicou que o gás que teria matado as vítimas é utilizado na impermeabilização de madeira e estava concentrado dentro do porão. José Eduardo disse ainda que estará no porto de Aracruz, nesta quarta-feira (25), com um outro representante do setor, para iniciar as apurações sobre o acidente.

Fonte: Folha Vitoria.