Mãe que acusou mulher de roubar o filho tentou vender a criança, diz polícia

A mãe que acusou uma mulher de ter roubado o filho dela, em março deste ano, no Espírito Santo, forjou o sequestro. Na verdade, segundo a polícia, Waléria Soares da Silva, de 32 anos, entregou a criança a Andreia Eliane dos Santos, de 51 anos, em troca de benefícios. De acordo com o delegado responsável, Lorenzo Pazolini, Andreia também é suspeita de tentar comercializar outras crianças. As duas vão ser indiciadas.

Em março, Waléria procurou a polícia e contou à imprensa que ficou duas semanas longe do filho recém-nascido porque o bebê havia sido sequestrado.

Na época, ela disse que havia conhecido Andreia em um abrigo no Espírito Santo. Contou, ainda, que teria deixado o bebê com a conhecida para ir até a Bahia fazer o registro de nascimento e, quando voltou, não encontrou mais a criança.

Agora, o delegado explica que, em troca da criança, Waléria recebeu R$ 70 reais pra ajudar no retorno para a Bahia, além de roupas, calçados e um notebook.

“Nós passamos a investigar e conseguimos comprovar que na verdade essa criança foi entregue de maneira voluntária. Aquela versão era falsa. Na verdade, ela, mediante obtenção de algumas vantagens, entregou essa criança para uma terceira pessoa”, explicou Pazolini.

A mulher acusada de ficar com a criança, por sua vez, é suspeita de envolvimento com outros casos de compra de crianças.

Em dezembro do ano passado, para ficar com uma criança, ela se passou por sogra de uma gestante na maternidade. Mas, assim que o bebê nasceu, a mãe desistiu de entregar o bebê. A partir daí, funcionários do hospital perceberam que havia algo errado.

Outro caso foi em abril deste ano. Andreia se apresentou como Patrícia. Ela estava com um bebê buscando atendimento, mas a unidade de saúde desconfiou porque ela não tinha nem documentos nem qualquer exame pré natal da criança.

Fonte:  G1 ES