Moro aceita convite de Bolsonaro para “superministério” da Justiça

Após o encontro com o juiz federal Sergio Moro no Rio, o presidente eleito Jair Bolsonaro confirmou a indicação do magistrado para o Ministério da Justiça e Segurança Pública. Moro é o quinto ministro indicado oficialmente  por Bolsonaro. No anúncio, ele disse que a agenda de Moro  será ‘ anti-corrupção, anti-crime organizado, bem como respeito à Constituição e as leis’.

Pouco antes, Mouro divulgou nota informando que vai se afastar das audiências da operação Lava-Jato que já estão marcadas para “evitar controvérsias desnecessárias”. Isso significa que ele não vai ouvir o interrogatório do ex-presidente Lula na ação que apura reformas feitas por empreiteiras no sítio de Atibaia, interior de São Paulo.

Uma das plataformas da gestão Moro deve ser o pacote com 70 propostas de combate à corrupção produzido pela Transparência Internacional e a Fundação Getúlio Vargas (FGV), com o apoio de duas dezenas de especialistas.

Bolsonaro confirmou ontem o astronauta Marcos Pontes como ministro da Ciência e Tecnologia . Também já foram oficializadas a indicação do deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) para a Casa Civil; do economista Paulo Guedes, para o Ministério da Economia; e do general Augusto Heleno, para o Ministério da Defesa.

Leia a nota de Moro na íntegra:

“Fui convidado pelo sr. Presidente eleito para ser nomeado Ministro da Justiça e da Segurança Pública na próxima gestão. Após reunião pessoal na qual foram discutidas políticas para a pasta, aceitei o honrado convite. Fiz com certo pesar pois terei que abandonar 22 anos de magistratura. No entanto, a pespectiva de implementar uma forte agenda anticorrupção e anticrime organizado, com respeito a Constituição, a lei e aos direitos, levaram-me a tomar esta decisão. Na prática, significa consolidar os avanços contra o crime e a corrupção dos últimos anos e afastar riscos de retrocessos por um bem maior. A Operação Lava-Jato seguirá em Curitiba com os valorosos juízes locais. De todo modo, para evitar controvérsias desnecessárias, devo desde logo afastar-me de novas audiências. Na próxima semana, concederei entrevista coletiva com maiores detalhes.”