Saiba o que pode e o que é proibido durante a votação nas Eleições 2018

É permitido votar com adesivo do candidato? E distribuir santinhos perto da sessão eleitoral, é crime? Levar o celular para dentro da cabine eleitora, então, pode?

Uma série de normas regulam as práticas permitidas durante o dia de votação. Várias delas são diferentes das apresentadas durante a campanha. As manifestações de apoio, por exemplo, estão liberadas, mas são mais restritas. A boca de urna, com propagandas e distribuição de material de campanha, no entanto, é proibida.

Veja, abaixo, o que pode e o que é proibido nas eleições de 2018.

O QUE PODE NO DIA DA ELEIÇÃO

Demonstrar a preferência pessoal por meio de bandeiras, broches e vestimentas, de forma individual e sem pedir votos, é permitido. A propaganda na internet pode ser veiculada em blogs, páginas de apoio em redes sociais ou portais do próprio candidato.

O QUE NÃO PODE

Entre os dias 30 de setembro e 7 de outubro, os eleitores não podem ser presos, a não ser em flagrante ou se condenados por crime inafiançável. No caso de mesários, o período de impossibilidade de prisão é maior, mas com as mesmas ressalvas. Eles não podem ser detidos a partir de 15 dias antes das eleições, assim como os candidatos.

PROPAGANDA ELEITORAL

A propaganda eleitoral no dia da eleição feita por meio de alto-falante e de amplificadores de som, a promoção de comícios ou carreatas e a distribuição de material de campanha são práticas proibidas pela Lei Eleitoral. As ações constituem crime punível com pena de detenção de seis meses a um ano, além de multa.

PROIBIÇÃO NA HORA DO VOTO

Será proibido entrar na cabine eleitoral com celular, máquinas fotográficas, filmadoras ou equipamento de radiocomunicação. A medida foi tomada para impedir que o sigilo do voto seja comprometido. Então, enquanto os eleitores votam, os aparelhos ficarão com o mesário.

Zona eleitoral em Duque de Caxias tem milhares de santinhos espalhados na calçada em 2016: distribuição de material de campanha é proibido no dia da eleiçãp Foto: Fabiano Rocha / Agência O Globo

Extra

É permitido votar com adesivo do candidato? E distribuir santinhos perto da sessão eleitoral, é crime? Levar o celular para dentro da cabine eleitora, então, pode?

Uma série de normas regulam as práticas permitidas durante o dia de votação. Várias delas são diferentes das apresentadas durante a campanha. As manifestações de apoio, por exemplo, estão liberadas, mas são mais restritas. A boca de urna, com propagandas e distribuição de material de campanha, no entanto, é proibida.

Veja, abaixo, o que pode e o que é proibido nas eleições de 2018.

Demonstrar a preferência pessoal por meio de bandeiras, broches e vestimentas, de forma individual e sem pedir votos, é permitido. A propaganda na internet pode ser veiculada em blogs, páginas de apoio em redes sociais ou portais do próprio candidato.

O QUE NÃO PODE

Entre os dias 30 de setembro e 7 de outubro, os eleitores não podem ser presos, a não ser em flagrante ou se condenados por crime inafiançável. No caso de mesários, o período de impossibilidade de prisão é maior, mas com as mesmas ressalvas. Eles não podem ser detidos a partir de 15 dias antes das eleições, assim como os candidatos.

PROPAGANDA ELEITORAL

A propaganda eleitoral no dia da eleição feita por meio de alto-falante e de amplificadores de som, a promoção de comícios ou carreatas e a distribuição de material de campanha são práticas proibidas pela Lei Eleitoral. As ações constituem crime punível com pena de detenção de seis meses a um ano, além de multa.

PROIBIÇÃO NA HORA DO VOTO

Será proibido entrar na cabine eleitoral com celular, máquinas fotográficas, filmadoras ou equipamento de radiocomunicação. A medida foi tomada para impedir que o sigilo do voto seja comprometido. Então, enquanto os eleitores votam, os aparelhos ficarão com o mesário

Fonte: Extra