Pastor é investigado por homicídio em incêndio que matou irmãos; confirma delegado

Reprodução TV Gazeta

A polícia pediu a prorrogação da prisão do pastor George Alves, nesta quinta-feira (17), e, agora, considera o caso como homicídio. A Justiça ainda não decidiu. O pastor está preso por atrapalhar as investigações sobre o incêndio que matou o filho e o enteado dele, em Linhares, no dia 21 de abril.

O delegado Romel Pio de Abreu, que está a frente das investigações, disse que mantendo a prisão temporária. “Entendemos que a manutenção da custódia dele nesse momento é de muita importância para o trabalho investigativo”, disse.

“Na verdade, a Polícia Civil trabalha com a linha de investigação de homicídio, em relação às crianças e ao investigado”, comentou o delegado André Costa. “A investigação está em fase final, então, em breve, a Polícia Civil vai entregar o resultado sobre a elucidação dos fatos”, comentou a delegada Suzana Garcia.

Os delegados não disseram porque consideram o caso como homicídio.