Vacinação contra Meningite e HPV é intensificada nas escolas de Barra de São Francisco

Yuri Marcones Garcia

A imunização contra o HPV está sendo oferecida a meninos de 11 a 15 anos incompletos. Desde janeiro, a vacina em questão passou ser disponibilizada no Sistema Único de Saúde (SUS) para meninos de 12 a 13 anos. Até então, era aplicada somente em meninas com menos de 15 anos.

A meta estipulada para 2017 é vacinar 80% das 7,1 milhões de crianças brasileiras do sexo masculino nessa faixa etária, a fim de protegê-las, inclusive, dos cânceres de pênis, garganta e ânus, diretamente ligados ao HPV. Para atingir esse objetivo, oMinistério da Saúde promoverá campanhas e intensificará os mutirões de vacinação nas escolas.

Também têm direito à imunização portadores do vírus HIV de 9 a 26 anos ou pessoas com câncer em uso de quimioterapia e radioterapia (ambos os sexos), além de quem já foi submetido a algum transplante de órgão. No primeiro caso (HIV/Aids), são necessárias três doses — com intervalo de dois e seis meses. Para os demais, permanece o esquema atual: duas injeções com um espaço de seis meses entre uma e outra.

Meninas que chegaram aos 14 anos sem iniciar ou completar essa imunização também serão público-alvo de ações de conscientização. Estima-se que há 500 mil adolescentes nessa situação no país. Para elas, a importância envolve a prevenção dos cânceres vaginal, anal, de colo do útero e de vulva. Lesões pré-cancerosas e verrugas genitais também seriam prevenidas.

Vale lembrar que o HPV é transmitido pelo contato direto com mucosas infectadas por meio de relação sexual e também pode ser transmitido da mãe para filho no momento do parto. Se seguido à risca, esse esquema vacinal protege contra quatro subtipos desse vírus (6, 11, 16 e 18), com 98% de eficácia.

HPV: quem deve tomar a vacina

– Meninas de 9 a 15 anos incompletos;

– Meninos de 11 a 15 anos incompletos;

– Portadores do vírus HIV de 9 a 26 anos incompletos com prescrição médica;

– Pessoas com câncer em uso de quimioterapia e radioterapia de 9 a 26 anos incompletos com prescrição médica;

– Pessoas que foram submetidas a algum transplante de órgãos de 9 a 26 anos incompletos com prescrição médica.

MENINGITE C

Os adolescentes de 12 a 13 anos, de ambos os sexos, também deverão se imunizar contra a Meningite C. O objetivo é reforçar a eficácia da vacina meningocócica C, uma vez que, com o passar dos anos, pode haver diminuição da proteção após a imunização, que acontece na infância. A vacinação será ampliada gradativamente, entre 2017 e 2020. Em 2018, serão incluídos adolescentes de 11 a 12 anos e, a cada ano, será acrescida nova faixa etária em ordem decrescente.

A meta é vacinar 80% do público-alvo, formado por 7,2 milhões de adolescentes, em 2017. Além de proporcionar proteção aos adolescentes, a ampliação alcançará o efeito protetor da imunidade rebanho; ou seja, a proteção indireta das pessoas não vacinadas em decorrência da diminuição da circulação do vírus. O esquema vacinal para esse público será de um reforço ou uma dose única, conforme a situação vacinal.

A Secretaria municipal de Saúde do município juntamente com as escolas estão intensificando a vacinação de adolescentes neste mês de Agosto. Os familiares estão sendo avisados das datas agendadas para vacinação e sendo orientados sobre a importância das vacinas. É necessário que os alunos apresentem o cartão de vacina e a autorização dos responsáveis para vacinação.

Ministério da Saúde amplia vacinação contra HPV para adultos até 26 anos

O Ministério da Saúde irá ampliar, temporariamente, a indicação da vacina contra o HPV para mulheres e homens de até 26 anos. A medida, porém, vale apenas para os municípios com estoques de doses a vencer até setembro deste ano. A mudança passa a valer a partir desta sexta-feira (18), quando a medida será anunciada oficialmente.

Até então, a vacina era indicada apenas para meninos de 11 a 14 anos, meninas de 9 a 14 anos, pessoas com HIV e Aids de 9 a 26 anos e pacientes transplantados e oncológicos.

A ampliação ocorre diante das baixas coberturas de vacinação e da proximidade do vencimento de doses já distribuídas aos Estados e municípios, o que traz o risco de perda de vacinas.

A decisão foi tomada nesta quinta-feira (17) pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, em reunião com secretários estaduais e municipais.

Questionado, o Ministério da Saúde não soube informar quantas doses estarão disponíveis e quais os municípios onde ainda há estoques. Pessoas que quiserem se vacinar podem verificar a disponibilidade nas unidades de saúde.

Em junho, no entanto, ao anunciar outra ampliação do público-alvo, a pasta informou que havia 467 mil doses a vencer até o fim deste ano, sendo 233 mil até setembro.

Com o término destes estoques, a vacina volta a ser direcionada apenas ao público-alvo anterior.

Em geral, as doses da vacina contra o HPV têm validade de três anos. Desde 2014, quando a vacina contra o HPV foi incorporada ao SUS, já foram distribuídas aos Estados 26,4 milhões de doses.

ESQUEMA

O esquema de vacinação também muda para quem estiver dentro do novo grupo ao qual a vacina é indicada.

Para a faixa etária de 15 a 26 anos, a orientação do Ministério da Saúde é o esquema vacinal com três doses, com intervalo de zero, dois e seis meses. Segundo o ministério, apesar de ser uma medida temporária para evitar o desperdício de vacinas, quem receber as doses terá as demais subsequentes garantidas no SUS.

 Já o público para quem a vacina já era indicada continuará recebendo as vacinas em duas doses, com seis meses de intervalo.

Desde o início da aplicação da vacina, em 2014, já foram aplicadas 18 milhões de doses em meninas de 9 a 15 anos (a vacina é indicada para meninas de 9 a 14, mas pode ser ofertada também àquelas com 15 anos e que receberam a primeira dose). A taxa de cobertura na primeira dose entre as meninas é de 74,7% do público-alvo. Já na segunda, de 47%.

Também foram vacinados 853 mil meninos de 12 a 13 anos entre janeiro e junho deste ano, o que corresponde a 23,6% do público-alvo. Em junho, a vacina foi ampliada também para meninos de 11 a 14 anos.

O ministério atribui os baixos índices de cobertura contra o HPV à dificuldade em atrair os adolescentes às unidades de saúde e a uma resistência desse grupo às vacinas. A pasta planeja retomar a parceria com as escolas para tentar aumentar os índices.

A vacina contra o HPV é a principal forma de prevenção contra o câncer de colo de útero, quarta maior causa de morte entre as mulheres no Brasil. Nos homens protege contra os cânceres de pênis, orofaringe e ânus. Além disso, previne mais de 98% das verrugas genitais.

NOTA EXPLICATIVA SOBRE A VACINA HPV EM BARRA DE SÃO FRANCISCO – ES

Venho informar a toda população de Barra de São Francisco que o Governo Federal publicou hoje que a Vacina HPV será ofertada temporariamente para Homens e Mulheres de 15 a 26 anos de idade. No entanto esta medida será somente para municípios que tem em seu estoque um lote da vacina que irá vencer em 4 de setembro de 2017. Esta medida visa otimizar as doses da vacina para que não haja perda. No município de Barra de São Francisco, o estoque de HPV será ainda priorizado para as meninas de 9 a 15 anos incompletos e meninos de 11 a 15 anos incompletos até o dia 28 de Agosto de 2017, visto que estamos em mês de campanha nas escolas do município com data previamente agendada para vacinação. A partir do dia 28 de agosto,as vacinas de HPV do lote mencionado serão disponibilizadas até acabar o estoque, conforme preconiza o Governo Federal. Para mais esclarecimentos, estarei a disposição no Pavilhão Municipal de Saúde de Barra de São Francisco. Desde já agradeço a Compreensão de todos.

Enfermeira Caroline Possatti
Coordenadora Municipal de Imunização
Barra de São Francisco-ES, 18 de Agosto de 2017

 

Fonte: ASCOM PMBSF