Sargento do Corpo de Bombeiros mata jovem e enterra corpo em quintal

O adolescente de 16 anos estava desaparecido havia dois meses, quando saiu de casa para capinar o quintal do sargento

O sargento aposentado do Corpo de Bombeiros Nelson da Silva Lopes, 58 anos, foi detido nesta quinta-feira (3) acusado de matar um adolescente de 16 anos e enterrar o corpo no terreno da residência em que mora, em Vila Merlo, Cariacica.

O jovem Ananias das Neves de Oliveira estava desaparecido havia dois meses, quando saiu de casa para capinar o quintal do sargento. Desde então, o menor sumiu e a família dele procurou a delegacia em Cariacica Sede para registrar a ocorrência. Naquela ocasião, policiais foram à casa do militar, mas ele disse que não sabia do garoto. No entanto, nesta terça-feira, a Polícia Civil recebeu uma denúncia anônima informando que Ananias havia sido assassinado e enterrado em um terreno que fica ao lado da residência do acusado.

Os policiais seguiram até o local indicado, onde foram recebidos pelo militar que teria dito que nada seria encontrado lá. Mas os policiais viram uma enxada e desconfiaram. Começaram a mexer na terra e encontraram cal, e, em seguida, parte de um corpo humano. Naquele momento o acusado teria dito: “É. Fiz merda”. Ele foi detido pela equipe da Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV).

ASSASSINO CONFESSO

Questionado pelo delegado Marcelo Cavalcanti sobre o que motivou o crime, Nelson respondeu: “Matei porque senti vontade”. Apesar desta afirmação, o delegado acredita que exista uma outra motivação e contou que o sargento se demonstrou frio durante depoimento. O assassino contou que matou Ananias com golpes de machado e que depois foi a uma loja de construção, onde comprou uma sacola grande e cal para colocar o corpo antes de enterrá-lo.

O corpo de Ananias foi retirado do local por uma equipe de bombeiros e levado ao Departamento Médico Legal.

A FAMÍLIA DE ANANIAS

Segundo uma prima do jovem Ananias, uma dona de casa de 24 anos, o garoto tinha sete irmãos e dois pais idosos que sofrem problemas de saúde. A família é bem humilde, e Ananias era sempre visto pelas ruas em busca de ‘bicos’ ou mesmo de um emprego. Para ganhar dinheiro, acabava se oferecendo para capinar lotes.

Segundo familiares, o sargento Nelson sempre implicava com o garoto, gritando: “Vagabundo”. Mas em junho, o militar chamou Ananias para capinar o quintal da casa dele e o menino saiu de casa às 7 horas da manhã para realizar o serviço.

A DENÚNCIA

A mesma pessoa que acionou o Disque-Denúncia 181 também ligou para a prima de Ananias, dizendo: “Eu estava trabalhando na rua do sargento, quando vi seu primo entrando com a enxada. Depois ouvi gritos e barulhos como se fossem pauladas. Tempo depois vi o Nelson saindo da residência, mas o Ananias não saiu mais de lá”.

TERROR NA VIZINHANÇA

A reportagem conversou com vizinhos do sargento, que disseram que tinham medo de Nelson. Ele era conhecido na região como um “cara ruim”, e foi acusado pelos moradores de matar animais de rua e de ter agredido a paulada um deficiente mental que pedia dinheiro na rua.

Fonte:GazetaOnline