“Vamos cortar na própria pele e até efetivos poderão ser demitidos”; diz Alencar Marim durante audiência pública sobre situação financeira do município

Por Tiago Quirino

Foto: Tiago Quirino

O prefeito de Barra de são Francisco, Alencar Marim (PT), promoveu uma audiência pública na última sexta-feira, 28 de julho de 2017, para explanar sobre a situação financeira e fiscal do município.

No inicio da reunião, o chefe do executivo apresentou dados comparativos dos últimos anos relacionados à arrecadação e pessoal. Pois bem, a explanação serviu de “start” para o anuncio das medidas de emergência que viriam a seguir:

“Vamos cortar na própria pele”

Foto: Tiago Quirino

Após chegar a 64% de percentual de despesas com pessoal no último pagamento, ultrapassando assim mais uma vez o máximo de 54% permitido pelo Tribunal de Contas, Alencar anunciou que uma comissão foi criada para avaliar quais setores poderão sofrer cortes de gastos e de pessoal. O certo até então é que 140 funcionários serão demitidos.

Além das demissões, para acertar a situação e o município não ser “enquadrado” pelo Tribunal de Contas, haverá também a substituição de pagamento de horas extras por banco de horas, reavaliação do direito à insalubridade, corte de Secretarias, e o possível congelamento de salários de servidores.

Justificando as medidas adotadas, Alencar pediu para que todos não se apegassem a questões políticas “É hora de pensarmos no município e esquecermos política, vamos cortar na própria pele. É possível que até efetivos sejam demitidos”; disse o prefeito.

Opinião do poder legislativo municipal

Questionado por nossa equipe de reportagem, o presidente da Câmara Municipal, Jonciclé Honório deu sua opinião ” São atitudes duras, mas que são necessárias para que Barra de São Francisco não vire o caos que está o Rio de Janeiro”; opinou ele.

 

 

 

O vereador Admilson Brum sugeriu ao prefeito “cortar mesmo na própria carne”, baixando pelo menos 10% do próprio salário, baixar salário dos secretários, subsecretários, cargos de confianças e comissionados.

 

Vai cortar Insalubridade de todos os funcionários?

Em conversa com nossa equipe de reportagem, o Secretário de Administração Paulinho da ótica, disse que o que vai acontecer em relação à insalubridade é uma avaliação através de um técnico de Segurança do Trabalho, que determinará qual setor e servidores terão direito, bem como a porcentagem correta de acordo com os parâmetros.

Banco de horas

Sobre a substituição das horas extras por banco de horas, pode ser que alguns setores não se adequem a este método, os Agentes de Vigilância Ambiental, fiscais da Vigilância Sanitária, motoristas da saúde, dentro outros, são setores que se pegarem as folgas do banco de horas poderão prejudicar consideravelmente a eficiência do serviço prestado à população.

Pois bem, é possível que com o início dos trabalhos da comissão nomeada por Alencar, muita coisa anunciada na reunião sofra algumas alterações para se encaixar a realidade do município, mas as ações não devem demorar a acontecer.